Publicado por: rodrigobmpoa | 24 de setembro de 2009

Focke Wulf FW 190 D–9 – Academy 1:72

Olá leitores!

Dando sequência à seção “Fui às compras”, eis que semana passada (18 Setembro), fui na Hobby Geral comprar tintas. Originalmente era para comprar apenas preto fosco e branco fosco. Saí de lá com 14 tintas, entre Model Master e Vallejo e mais um kit, dessa vez um Focke Wulf FW 190 D-9 (Dora).

Então, vai para a fila e segue abaixo um pouco da história desse famoso caça (e lindo também) alemão da Segunda Grande Guerra.

Origens (informação compilada da Wikipédia):

A Focke-Wulf Flugzeugbau AG foi fundada no dia 1 de janeiro de 1924 por Heinrich Focke, George Wulf e o Dr. Werner Naumann. A empresa operava em um hangar do Aeroporto de Bremen, onde eram desenvolvidos aviões leves e transportes. O grande acontecimento na história inicial da empresa, ocorreu no dia 1 de novembro de 1931, data em que o Diploma Ingenieur (Engenheiro Certificado) Kurt Waldemar Tank, assumiu a Diretoria do Departamento de Design. Sua experiência no projeto de aviões era ampla, tendo trabalhado para Rohrbach e a Bayerische Flugzeug AG em Augsburg, sob o comando do Prof. Willy Messerschmitt.

O projeto que deu origem ao caça multifuncional Fw 190, surgiu no outono de 1937, através do interesse do RLM ou Reichluftfahrt-Ministerium (Ministério da Aviação do Reich), por um possível backup ou futuro substituto para o Messerschmitt Bf 109. Uma das características chave do projeto, um motor radial refrigerado a ar, foi também uma afronta aos assistentes técnicos do RLM, que até então pregavam que o caça ideal, deveria ser dotado de motor em linha refrigerado a líquido, por suas características aerodinâmicas e de potência. No entanto, esta ousadia na verdade era uma decisão estratégica perfeitamente lógica. No final da década de 1930, o caça padrão da Força Aérea Alemã era o mítico Messerschmitt Bf 109, projetado por Willy Messerschmitt. O Bf 109 utilizava um motor Daimler Benz em linha. A decisão por utilizar um motor radial, tinha fundamento em não demandar ainda mais a já sobrecarregada produção de motores em linha, o que tornava o Fw 190 uma alternativa muito atraente. Outro ponto ao qual Kurt Tank era particularmente muito favorável a utilização do motor radial, é que este era muito menos susceptível a danos em combate do que o motor em linha.

Meus comentários:

Porém, indo direto à versão D-9, a mesma entretando era equipada com motor v12 (invertido) Jumo 213 A refrigerado à líquido. Essa troca de motor, dentre outras coisas foi feita para dar mais performance em altitudes elevadas em relação à  série A, o suficiente para torná-lo útil contra os bombardeiros pesados americanos da época. No entanto, na realidade, raramente ele foi utilizado contra os bombardeiros pesados americanos e no final do ano de 1944 as circustâncias exigiram que ele fosse utilizado para o combate corpo-a-corpo contra os caças inimigos.

Como esse motor era mais pesado que o radial e também mais comprido, algumas alterações tiveram que ser feitas no setor aerodinâmico e também no equilíbrio e distribuição de peso.

Motor Jumo 213 A

Motor Jumo 213 A

Indo ao kit, mais um Academy comprado. Talvez por preguiça de olhar catálogos online, de fazer toda aquela burocracia, eu tenho preferido comprar nas lojas da minha cidade, Porto Alegre. Aqui a variaedade em aviões não é muito grande, em termos de fabricantes: Temos Academy, Revell, HTC, Heller, Airfix, Italeri, Alguns Tamiya acho, e no momento três modelos de Mustang P51 1:48 da ICM Ucraniana (em breve terei um). Eu gosto particularmente de Hasegawa, mas está dificil aqui, acho que há problemas com o importador, ou não, ele não tem mais problemas, parece que fechou.

Então as marcas que me sobram são, nessa ordem de preferência: Academy e Italeri. Mas da Italeri não tenho tido interesse no que está disponível, aí que se explica porque ando comprando tanto Academy, ok?

Bem, como dito, semana passada comprei esse kit, me parece ser muito bom, da Academy. Ele é 1:72. Na caixa, como sempre, uma ilustração do avião “em ação” e fotos de um modelo montado:

230920091191230920091192230920091193

Cratela de decais de boa qualidade, e opção para três aviões, cujos esquemas de pintura são claros:

230920091197

230920091205

Manual bem impresso, papel de boa qualidade e como sempre, com uma breve história do modelo, que eu devia ler pra evitar escrever bobagem como as de cima nesse post heheh:

230920091194230920091195

E o kit em si, para um 1:72 é bem detalhado. Tem sets de detalhamento eu sei, mas não quero colocar, pois são mais caros que o avião e eu não estou com essa bola toda.

Tem duas versões de canopy:

230920091198

230920091196230920091199230920091200230920091201

Os detalhamentos dos painéis de comando e cockpit me agradaram, para um modelo simples, está muito bom:

230920091203230920091204

É issoaí! Mais um para a fila de espera, acho que esse vai em outubro ou novembro de 2009, baita furão de fila hahaha.

Abraços

RodrigoBM


Responses

  1. […] Focke Wulf FW 190 D–9 – Academy 1:72 « Plastimodelismo Brasil plastimodelismobrasil.wordpress.com/2009/09/ – view page – cached Dando sequência à seção “Fui às compras”, eis que semana passada (18 Setembro), fui na Hobby Geral comprar tintas. Originalmente era para comprar apenas preto fosco e branco fosco. Saí de lá com 14 tintas, entre Model Master e Vallejo e mais um kit, dessa vez um Focke Wulf FW 190 D-9 (Dora). — From the page […]


Deixe uma resposta

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s

Categorias

%d blogueiros gostam disto: